Granitina

A granitina, também chamada de granilite, é uma opção de revestimento para pisos e paredes cada vez mais utilizada. Ela é produzida por meio da mistura entre cimento (comum ou branco), areia, água e fragmentos de pedras. Podem ser utilizados, por exemplo, pedaços de quartzo, mármore, granito e calcário.

Caso o consumidor deseje um piso colorido, pode acrescentar à massa o óxido de ferro. A proporção de cada material da mistura deve ser determinada por um especialista, de modo que atinja a consistência adequada ao ambiente. Por isso, é fundamental contratar um profissional para a aplicação do produto.

Quando a execução da obra com granitina é feita da forma correta, a superfície pode durar até 40 anos sem a necessidade de nenhum grande reparo. O material é, inclusive, mais resistente do que o cimento queimado, considerado um dos mais poderosos neste quesito. Essa resistência maior ocorre devido à presença dos minerais na massa.

O piso em granilite é indicado para os mais diversos ambientes, inclusive para aqueles que possuem grande tráfego de pessoas. Isso inclui, por exemplo, galpões, halls, áreas comuns, shoppings, hospitais, lojas e igrejas. Contudo, não é interessante fazer sua instalação em locais sujeitos a produtos químicos ou abrasivos, pois a superfície pode ser danificada pelos itens.

É importante destacar o belo visual deste tipo de pavimento. Com os fragmentos de pedras aparentes na superfície, a granitina proporciona uma incrível decoração ao espaço, podendo ser associada a diferentes tipos de ambientes e objetos. Para potencializar essa característica, é interessante escolher pedras que tenham cores semelhantes, e com tons que combinem com a decoração do imóvel. Assim, haverá homogeneidade e maior facilidade de harmonização nos ambientes.

Tipos de granitina

Existem dois tipos do piso granilite no mercado: o polido e o fulget. O primeiro é a melhor opção para ambientes internos, pois possui aspecto mais bonito e bem cuidado. Seu visual é brilhante e liso. Para obtê-lo, o responsável pela obra utiliza máquina de polimento e resina impermeabilizante sobre a superfície. A limpeza do pavimento é muito simples, pois sujidades não conseguem adentrar a área.

Já o fulget possui um resultado mais rústico, já que não recebe nenhum tipo de polimento ou resina. O material é áspero ao toque, e tem capacidade antiderrapante. Por isso, seu uso é mais interessante para ambientes externos, uma vez que estes espaços estão sempre sujeitos à chuva. Nessa situação, o piso áspero diminui consideravelmente a chance de escorregamento e de outros acidentes.

Vantagens do pavimento em granilite

São diversas as vantagens do piso em granitina, como a sua durabilidade. Com enorme resistência devido aos minérios utilizados, o pavimento dificilmente sofre avarias ou abrasão. No entanto, é importante contar com um profissional especializado no assunto durante a instalação, para que o piso ganhe a espessura e acabamentos corretos. Do contrário, sua durabilidade ficará bem aquém dos 40 anos esperados.

Outro benefício percebido no uso deste tipo de piso é o seu custo. Como são utilizados fragmentos de pedras, os materiais para composição da massa são mais baratos do que se comparados a outros, como o porcelanato. Considerando ainda estes fragmentos, é possível dizer que o produto é sustentável, uma vez que retira e utiliza pouco do que a natureza tem a oferecer.

Ao mesmo tempo, a granitina tem limpeza e manutenção bastante facilitada. No caso do material polido, é necessário apenas utilizar vassoura para a retirada de sujidades, e um pano limpo úmido para uma limpeza mais acurada.

É fundamental, contudo, nunca utilizar produtos abrasivos ou químicos na superfície. Se necessário algo mais “forte” para a limpeza, o produto indicado é o detergente neutro. Este cuidado vai evitar a ocorrência de riscos e trincas no pavimento. Aqui, ainda é possível reaplicar, periodicamente, uma nova camada de resina impermeabilizante sobre o piso. Geralmente, essa aplicação é feita a cada dois anos, e deve ser realizada por empresa especializada.

No caso do piso fulget, é interessante utilizar água e sabão neutro no momento da limpeza, esfregando-os sobre a superfície. Isso facilita a retirada de sujidades, uma vez que o visual rústico facilita o acúmulo de resíduos.

Finalmente, uma incrível vantagem da granitina é que ela pode ser facilmente recuperada. Neste caso, é possível fazer um novo polimento da superfície, ou aplicar uma nova camada de pedras. O resultado é de um aspecto novo em folha.

Como o piso de granitina é executado?

A aplicação do pavimento em granilite é relativamente simples, e requer, especialmente, o bom preparo do solo. Isso significa que é preciso limpar o chão e fazer o seu nivelamento. Logo após, o executor da obra faz o sarrafeamento da superfície, ou seja, deixa-a com aspecto mais áspero – o que melhora a aderência da massa. Por este motivo, aliás, a granitina não deve ser aplicada sobre gesso, cal ou fibrocimento.

Em seguida, são posicionadas juntas de dilatação, que “dividem” o espaço do piso em grandes quadrados. Essa divisão é importante porque diminui a ocorrência de fissuras, garantindo que superfície se manterá lisa e segura. No piso, é indicado que as juntas sejam posicionadas a cada um metro quadrado, aproximadamente. Todas as juntas devem ser fixadas no solo com o auxílio de uma camada de argamassa.

Assim que as juntas estiverem fixas, o responsável pela obra fará a distribuição da massa de granilite sobre o solo. É importante aguardar a secagem completa da superfície, algo que costuma demorar sete dias. O consumidor deve indicar, então, o acabamento que deseja: o polido ou o fulget.

Caso o acabamento desejado seja o polido, logo após a secagem do espaço será feita a impermeabilização do pavimento com uma resina. Em seguida, há a necessidade de polimento por uma máquina conhecida popularmente como “helicóptero”. Após mais alguns dias, o local poderá ser normalmente utilizado.

Já o acabamento fulget precisa ser feito antes da secagem total do piso. Nessa situação, é necessário retirar parte da argamassa do pavimento, esfregando sobre ele uma esponja molhada. Isso expõe alguns fragmentos de pedra, tornando a superfície áspera e antiderrapante. Depois, é preciso apenas deixar o material cumprir o restante de seu tempo de cura, e o piso estará finalizado.

Leave A Reply

Your email address will not be published.