Impermeabilização de laje

Quando você ouve o termo “impermeabilização de laje”, provavelmente pensa diretamente na impermeabilização do teto de um imóvel. Este cuidado é fundamental para evitar o acúmulo de água no teto de uma edificação. Muitas vezes, também é necessário fazê-lo no piso de espaços externos, para que o acúmulo de líquido não prejudique o ambiente.

Como fazer a impermeabilização?

A impermeabilização de lajes é realizada de modo a interceptar o acúmulo de água sobre o teto e direcioná-lo para o seu descarte, normalmente feito por calhas. Sem o sistema, o líquido poderia ser absorvido pelo piso, o que causa uma série de problemas. A começar pelas manchas causadas pela água, que deixariam o visual da superfície pouco agradável. Além disso, a água pode provocar infiltrações, rachaduras e corrosão da armadura da superfície de concreto armado. Também poderia ocorrer o aparecimento de fungos e bactérias, e o desplacamento dos azulejos do chão.

Ou seja, deixar a água se acumular e adentrar a laje é uma péssima ideia. Por isso, logo após a instalação do teto, é fundamental investir em um sistema que impeça os problemas. Para isso, contudo, é essencial contar com o auxílio de um especialista. Apenas o arquiteto ou engenheiro responsável pela obra poderão indicar o melhor método de impermeabilização do espaço.

Ao mesmo tempo, a execução do serviço deve ser feita por uma empresa de confiança. A realização correta de todo o processo vai garantir a eficácia da cobertura, além de manter um belo visual da superfície. A execução mal realizada, por outro lado, poderia causar manchas e infiltrações.

É importante destacar, de qualquer forma, que apesar de prevenir grande parte dos problemas, eles podem vir a acontecer com o tempo. Isso significa, por exemplo, que não é incomum o surgimento de fissuras na superfície.

Contudo, a impermeabilização diminui esses riscos, e adia-o o máximo possível. Além do mais, o cuidado, se for realizado periodicamente, pode manter a qualidade do espaço. Assim, a estrutura será frequentemente renovada, mas sem a necessidade de obras.

Tipos de impermeabilização de laje

Como citado, quem deve definir o melhor tipo de impermeabilização para a laje é um especialista no assunto. Contudo, é interessante que você, consumidor, conheça os tipos do processo. Assim, poderá opinar sobre a alternativa sugerida, e conhecer suas vantagens e indicações.

Basicamente, existem dois tipos de impermeabilização de laje: a impermeabilização rígida e impermeabilização flexível.

Impermeabilização rígida

Esse tipo de revestimento é indicado para estruturas mais extensas, inclusive lajes, fundações, piscinas, poços de elevador e reservatórios inferiores de água. Para utilizar dessa opção, é importante que o pavimento não sofra movimentações intensas e constantes, muito menos a provocada pela variação térmica.

Normalmente, esse tipo de impermeação é feita com epóxi, por cristalização ou argamassa impermeável ou polimérica.

Impermeabilização flexível

Já a impermeabilização flexível é indicada para espaços em que há movimentação sobre a superfície, seja por tráfego de pessoas ou máquinas, ou devido à variação térmica do espaço. Assim, esse tipo de revestimento é indicado para o teto, para o piso dentro de casa, varandas, terraços, pisos de cozinha, jardins e outros.

Os tipos de material utilizados para essa membrana são bastante variados. Há aquelas produzidas com emulsão acrílica, as de solução asfáltica, asfaltos oxidados, neoprene, manta polimérica de PVC e mais. Dentre todas, as alternativas asfálticas e de PVC costumam ser as mais utilizadas, pois são práticas e, muitas vezes, mais baratas. Acompanhe a seguir algumas especificações sobre os tipos de cobertura.

Manta asfáltica

Para uma manta asfáltica, é utilizado material asfáltico modificado, armado com produtos como borracha, poliéster, polietileno ou fibra de vidro. A opção consiste em uma espécie de cobertor, que pode ser facilmente “colado” sobre a superfície desejada. Normalmente, essa aplicação é feita durante a obra do edifício, mas também pode ocorrer numa reforma posterior.

Impermeabilização com poliureia

A poliureia é um produto aplicado por meio de jatos, como se fosse uma tintura utilizada para pintar a laje. Ela é produzida por meio da mistura entre a resina e o isocianato, e apresenta resistência à abrasão química e à hidrólise. Por essa característica, aliás, a opção é indicada para espaços sujeitos a situações agressivas, como as citadas. Isso inclui, além da laje, pisos industriais e reservatórios.

Injeção química na laje

As chamadas injeções químicas são realizadas por meio da infiltração de um gel impermeabilizante na superfície, sob pressão. A alternativa é especialmente interessante para a reparação de infiltrações e vazamentos já existentes, pois o gel preenche essas rachaduras. No entanto, também é possível utilizá-la para criar uma nova camada de impermeabilização da superfície.

Impermeabilização com silicone

Para lajes completamente sem trânsito, de pessoas ou máquinas, é interessante utilizar o silicone como material base do cuidado. Essa restrição ocorre porque o produto não possui boa resistência mecânica, apesar de ter ótimo resultado contra o acúmulo de líquidos.

Emulsão acrílica

No caso da emulsão acrílica, é realizada a emulsão de polímeros acrílicos termoplásticos em meio aquoso. Entre uma demão e outra do material, é utilizado algum produto estruturante, como o véu de poliéster. Intercaladas, as camadas garantem a boa impermeabilização da superfície. Também é interessante que a área não conte com muito tráfego.

Impermeabilização com Poliéster Flexível

Ao aplicar o poliéster flexível em sua obra, o consumidor obtém grande resultado, rápido e sem grandes incômodos na realização do método. Outra vantagem do produto é que ele é leve, e por isso não adiciona muito peso à superfície impermeada. O produto pode servir ainda como um revestimento para piso, e neste caso oferece acabamentos semelhantes à madeira, pedras e atá à cerâmica.

Cuidados na execução

Independentemente do tipo de impermeabilização definida como a ideal para laje do imóvel, é fundamental que o executor da obra tenha atenção a alguns quesitos comuns. Além de garantir a correta aplicação da cobertura, os cuidados vão evitar a necessidade de manutenção recorrente da superfície. Caso não seja bem trabalhada, a laje pode, por exemplo, sofrer sobrecarga, fissuras e vibrações.

Assim, um dos primeiros cuidados importantes na impermeabilização de laje é a instalação de juntas de dilatação na superfície. As juntas “separam” o teto em grandes quadrados, e assim criam maior resistência do espaço. São elas também as responsáveis por amenizar os efeitos causados pela variação volumétrica da estrutura.

Além disso, a instalação adequada das juntas garante que a água ou outros elementos não irão penetrar na laje. Assim, as peças devem ser feitas de materiais elásticos e resistentes, associados a um selante. Um dos selantes mais utilizados nas juntas é o poliuretano. Há situações em que a própria impermeação garante essa atenção aos componentes, mas em outros casos é preciso dedicar um tempo específico às divisões.

Os cuidados também variam de acordo com o momento de aplicação da impermeabilização: durante a construção do imóvel ou em uma reforma. Alguns sistemas para impermeação da superfície vão requerer a retirada do revestimento já existente, o que demanda um tempo maior para realização do sistema. Outras alternativas, porém, são mais leves, como o silicone, e podem não reivindicar esse trabalho extra.

De qualquer modo, como já explicado, o cuidado principal desse tipo de obra deve ser o de contar com o auxílio de uma empresa especializada no serviço. Assim, o consumidor terá a certeza de adquirir um produto bem-feito e durável, além de contar com a garantia do produto por um período determinado pela loja.

Leave A Reply

Your email address will not be published.