Piso Fulget

Talvez você já tenha ouvido falar do granilite. O granilite é um piso composto por concreto e uma série de fragmentos de pedra, que dá à superfície um aspecto de mosaico. O pavimento tem dois tipos: o comum e o fulget.

O chamado granilite comum é aquele que, após aplicado no chão, é polido e recebe uma camada de resina. Essa resina nivela a superfície, além de torná-la impermeável. Ao mesmo tempo, o pavimento se torna brilhante e liso. Por essas características, o material possui incrível capacidade estética, podendo combinar facilmente com qualquer tipo de decoração.

De qualquer forma, é mais interessante que o granilite comum seja aplicado em espaços internos. Isso porque, a superfície resinada se torna escorregadia. Logo, em espaços externos ela poderia provocar acidentes, uma vez que o local geralmente fica sujeito à água da chuva. Uma superfície resinada combinada com o acúmulo de água é um perigo, especialmente para idosos e crianças.

Aplicações do piso fulget

Já o piso fulget é bastante indicado para espaços externos. Afinal de contas, ele não possui acabamento brilhante em liso. Em vez disso, o piso é áspero, pois deixa os fragmentos de pedra expostos e desnivelados. Por esse motivo, ele é ideal para espaços como calçadas, jardim, rampas e entradas de garagens. Mesmo que haja o acúmulo de água na superfície, ela não apresenta risco de escorregamento.

Além disso, o fulget não esquenta sob o sol, e por isso é agradável ao toque mesmo em dias quentes. No entanto, é interessante evitar aplicá-lo em locais em que os indivíduos vão caminhar descalços. Isso já que a sensação dos pés sobre a superfície será áspera, e provavelmente incômoda. Dessa forma, mesmo que o redor da piscina requeira um piso áspero, para evitar o escorregamento, é importante escolher um pavimento que não seja tão incômodo ao toque dos pés descalços.

Também é possível aplicar o material fulget na parede. Seu resultado para a decoração fica incrível, além de dar um visual mais rústico ao ambiente. Contudo, lembre-se que o produto é irregular e mais bruto. Por isso, caso a parede fique eu um local em que os indivíduos podem sempre “trombar”, o produto não é o ideal. Caso aplicado, ele pode acabar por causar arranhões na pele.

Tipos de fulget

A opção de cobertura de pavimentos com fulget no Brasil é recente. O produto, que tem origem francesa, foi trazida ao País no século XX, por imigrantes italianos.

Para sua execução, uma massa de concreto recebe fragmentos de pedras, geralmente de ao menos três granulometrias diferentes. Esses fragmentos podem ser, por exemplo, de quartzo, granito, mármore, ardósia, arenitos e calcários. É comum que várias dessas pedras sejam misturadas, pois o resultado visual obtido é bastante mais atraente. Na massa, também pode ser acrescentada cal e outros aditivos.

São dois os tipos de fulget disponíveis no mercado: o tradicional e o natural. No tradicional, a massa é produzida por meio apenas da mistura entre cimento, cal e fragmentos minerais. Em contrapartida, o produto considerado natural conta também com resinas de acrílico. O produto aumenta a aderência do fulget em pisos mais inclinados.

Em ambos os casos, é possível adicionar à massa corantes para a coloração do cimento. Nesse caso, o piso ganha um up, um pouco mais de cor do que o que seria proporcionado pelos tons variados das pedras. Aqui, é importante ter o cuidado de combinar a tonalidade dos minerais com o corante, para que o resultado não seja muito destoante. A mistura exagerada de cores pode se tornar rapidamente cansativa aos olhos. Por esse mesmo motivo, aliás, o consumidor precisa optar por cores que combinem com sua decoração.

Como é feita a execução do fulget?

Apesar de parecer simples, a aplicação do piso fulget requer o trabalho de um profissional. Isso porque, apenas um especialista em pisos conhece a proporção correta entre cimento e agregados, e sabe como aplicá-lo do modo mais adequado. Dessa forma, o primeiro passo para a execução do pavimento é contratar um indivíduo capacitado e de confiança.

Quando aplicado, o fulget costuma ficar com espessura entre 10 mm e 15 mm, mas isso pode variar consideravelmente de acordo com o tamanho dos fragmentos utilizados. Isso porque, segundo especialistas, o correto é que a superfície tenha espessura correspondente a, pelo menos, 3 vezes o tamanho do maior fragmento utilizado na massa. Logo, se você desejar um piso mais fino, precisa escolher pedras pequenas.

A aplicação do granilite precisa seguir as determinações da NBR 11801 da ABNT, que normatiza, por exemplo, as características de resistência necessária ao produto. Independentemente das pedras escolhidas, contudo, é fundamental que o material tenha resistência à tração na flexão maior do que 4 MPa, e resistência à compressão maior do que 40 MPa.

Preparação da superfície

Para que aglutine-se correta e firmemente no solo, é necessário que a massa fulget seja aplicada sobre uma superfície rugosa. Nesse caso, é possível, por exemplo, aplicar concreto sobre o solo e fazer riscos espaçados, tornando o piso áspero. Antes disso contudo, é essencial que a superfície seja bem limpa e nivelada.

No passo seguinte de execução da obra, é necessário posicionar as chamadas juntas de dilatação. As juntas são grandes fitas de PVC, responsáveis por “separar” o piso em grandes quadrados. Essa divisão dá ao piso grande resistência, pois distribui melhor os impactos recebidos no dia a dia. Sem as juntas, a superfície ficaria muito mais sujeita a fissuras e ao desgaste rápido ao longo dos anos. Geralmente, a superfície é “dividida” em quadros de 1 metro quadrado, no máximo.

Aplicação do fulget

Assim que a superfície estiver pronta para instalação do piso, a mistura de cimento e fragmentos de pedras é espalhada sobre ela. O responsável pela obra precisa ter o cuidado de manter a camada o mais nivelada possível, para que desníveis não provoquem incômodos e sobressaltos durante o caminhar dos indivíduos.

Acabamento da superfície

A finalização do piso fulget é ainda mais simples. Como citado, o produto não recebe nenhum tipo de resina ou polimento. Em vez disso, o pavimento precisa ser lavado com jatos de água, para que o líquido retire da superfície o excesso de argamassa aplicado. Essa etapa do processo deixa à mostra os fragmentos de pedras, criando certa irregularidade do pavimento e um aspecto tátil áspero e antiderrapante. Não é necessário realizar nenhuma outra etapa para finalização do piso.

Manutenção do pavimento

Uma das vantagens do fulget é que ele é um pavimento bastante durável. Para garantir essa durabilidade, contudo, é necessário que o piso passe por manutenções periódicas, tanto em relação à limpeza, quanto para a renovação da superfície.

Na hora de manter a limpeza do espaço, é interessante usar apenas água, detergente neutro ou sabão em pó. Produtos abrasivos ou químicos, como ácidos e o cloro, podem manchar ou desgastar as pedras, o que não é interessante.

Também é possível utilizar lavadora a jato, mas é importante que o bico da máquina seja colocado no modo leque. O jato direto costuma provocar o descolamento de fragmentos de pedra, e isso acaba por ir eliminando parte do pavimento aos poucos.

Com o tempo, provavelmente será necessário fazer uma nova camada de piso no ambiente. Isso demora a acontecer, uma vez que o granilite tem durabilidade de até 40 anos. Contudo, é possível aplicar uma nova camada de fulget sobre a superfície já existente. O material requer apenas que o piso esteja limpo e áspero, o que já é uma característica básica do material.

Vantagens do pavimento

Uma das principais vantagens do piso fulget é a sua facilidade de limpeza. Como citado, basta apenas utilizar água e sabão, ou mesmo lavadora a jato, para manter a superfície livre de sujidades. Ao mesmo tempo, é possível destacar a incrível durabilidade do pavimento. Essa durabilidade é garantida pelos fragmentos de pedra do produto, componentes naturais extremamente resistentes.

Além disso, o fulget é antiderrapante. Isso significa que, mesmo molhada ou com alguma substância oleosa, a superfície não escorrega. Essa característica é importante principalmente para espaços externos, em que a exposição à água da chuva poderia causar facilmente quedas. O cuidado de escolher um piso antiderrapante deve ser ainda maior se o imóvel tiver o tráfego de crianças e idosos. Afinal, essas pessoas têm equilíbrio mais fraco, e estão mais sujeitas a sofrer problemas em pisos escorregadios.

A rapidez na aplicação do material é outro destaque. O espalhar da massa sobre o solo é simples, assim como a sua secagem. Especialmente considerando que o pavimento não recebe nenhuma resina para acabamento, o que demandaria mais alguns dias para a secagem completa do espaço.

Finalmente, há de se destacar a capacidade decorativa do piso granilite lavado. Com diversos fragmentos de pedra, a superfície do material cria uma espécie de mosaico colorido, que combina com qualquer tipo de composição no imóvel. Como é possível escolher entre diferentes minerais, e ainda utilizar corante para coloração da massa, é simples harmonizar as tonalidades com os demais objetos e paredes do local.

Por que escolher o fulget?

Na maior parte das vezes, o fulget é indicado para espaços externos. Por isso, inclusive, ele é muitas vezes utilizado para a definição de “caminhos” entre o jardim ou a área de grama que decora a edificação. Assim, além de demarcar melhor o espaço para o caminhar dos indivíduos, esse tipo de pavimento acaba por contribuir grandemente à decoração.

Ademais, é interessante destacar a vantagem do uso do produto em vez do cascalho. Quando o ambiente conta com cascalho, o barulho das pedras pode incomodar, por exemplo. Além disso, a superfície se torna bastante irregular, já que os pedriscos soltos podem se deslocar e se posicionarem em montinhos espaçados. Já o uso do granilite tem o mesmo efeito visual das pedras soltas, mas caminhar sobre o pavimento é mais confortável, menos barulhento e, principalmente, mais nivelado.

De qualquer modo, lembre-se sempre de contar com o auxílio de um especialista em pisos para compor o seu imóvel. Com a consultoria de um profissional, é muito mais simples definir se o fulget é ou não a alternativa mais adequada para o assoalho externo. Além disso, um especialista pode indicar outras alternativas antes não imaginadas.

Leave A Reply

Your email address will not be published.